sábado, 15 de maio de 2010

E na outra noite, ele falou assim...



Devo igualar-te a um dia de verão?
Mais afável e belo é o teu semblante:
O vento esfolha Maio inda em botão,
Dura o termo estival em breve instante.

Muitas vezes a luz do céu calcina,
Mas o áureo tom também perde a clareza:
Do seu belo a beleza enfim declina,
Ao léu ou pelas leis da Natureza.

Só teu verão eterno não acaba.
Nem a posse da tua formosura.
De impor-te a sombra a Morte não se gaba.

Pois que esta estrofe
Eterna ao tempo dure.
Enquanto houver viventes nesta lida,
Há-de viver meuverso e te dar vida.


[Citando, Soneto XVIII, William Shakespeare]


Depois, ele cantou pra eu dormir:
http://www.youtube.com/watch?v=JuEuHB8Q6zM


Roberta Campos e Nando Reis cantam, DE JANEIRO A JANEIRO

*

5 comentários:

Emili disse...

Essa música é linda :)

Cristiane Melo disse...

lindo seu blog! :*

DnSk disse...

Adorei seu blog. Dei de cara via google e me amarrei!! =)

Leni disse...

Lindo seu blog :D adorei amúsica
beijos querida, te sigo

silvioafonso disse...

.

O sol se apaga, a noite desce.
A tarde intremeia o dia, o
corpo esfria, esmorece.
Cubro-o com flores brancas,
raios de lua nova, minha alma,
resplandece.

silvioafonso.






.